notas


#1

Revelações noturnas a

Assistir tv de madrugada é bastante elucidativo, mas perturbador. Quando você ouve um teatro lotado de gaúchos berrando “ah!, eu sou gaúcho” com vontade realmente de ser separar do país, eu não sei se rio ou se choro. Perdoe-me os gaúchos. É, você mesmo. 😉

Revelações noturnas b

Conclusão de duas irmãs desoladas com o mundo musical. Você ouvir as belíssimas sílabas métricas de Charlie Brown deve ter feito Drummond dançar Créu no túmulo. Minha irmã resumiu bem: “o modernismo chutou o balde. Vinícius tentou ajudar, mas olha o que eles fizeram…”. A mim, só restou dizer que “já dizia Lulu Santos: ‘assim caminha a humanidade…'” e ela: “a passos de formiga e sem vontade”.

Revelação de última hora

Ela: porque ele faz sucesso se ele é feio, estranho e canta mal?
Eu: culpa do modernismo.
Ela: eu odeio o tropicalismo.

Acho que o movimento-antropofágico-pau-brasil tá de perna pro ar e repentinamente virou piada interna.

#2

Créu.

Anúncios

#1

Marrom é cor que só fica bonito em árvores mortas, com folhas caídas. Cai bem.

#2

Visão Metropolitana

Dois senhores de rua.
Um, parado próximo à ponte, apoiando ambas as mãos na cintura. observava o fluxo.
O outro, encostado em um pequeno arbusto, bradava sons inaudíveis, brindando o ar com o copo vazio. Erguia-o no ar e abaixava-o incessantemente.
Eu observava.

#3

Conversas de pai pra filha

“- Bob Dylan eu conheço, minha filha, eu não conheço são é (sic) esses zé-manés cantando as músicas deles, com essas calças tão apertadas… Deve ser pr’o sangue ir pr’o cérebro…”
“- … pra eles pensarem.”
“- É… vi no ‘Letra e Música'”.

#4

Tem dia que há tanta coisa pra registrar que eu fico com saudade dos dias parados. É raiva do cérebro lerdo.